Boobs are not funny

De Wikinet
Ir para: navegação, pesquisa
Eniko Mihalik satirizando as marias-chuteiras, na revista V. Americano não acha graça nisso

Boobs are not funny é um dos pilares da Uncyclopedia[1], e simboliza o ódio que os americanos tem à mulher em sua forma original, como Deus a fez.

Este pilar permeia também várias cópias da Uncyclopedia em outras línguas, como a Desciclopédia em português ou a 卍 em alemão. Alguns povos mais civilizados, como os italianos, cagam para esta regra, e ilustram seus artigos liberalmente com imagens de mulheres gostosas semi-nuas.

Como toda política sem graça, seu truth-value é irrelevante; ela penetra no leitor, infecta sua mente e o transforma em um transmissor dela. Mas, será que é mesmo verdade que peitos (e, por extensão, mulher pelada) não alavancam o humor? Por outro lado, será que a frase é mesmo verdadeira para a Uncyclopedia?

Freud, as origens da psicanálise e o primeiro estudo científico das piadas[editar]

Boobs are not funny.

Não fiz a pesquisa para ver o que os gregos falaram do humor, provavelmente eles já sabiam o que era humor e como fazê-lo, mas estes textos se perderam durante a Idade Média, uma época de muito mau humor, em que a graça era apedrejar os judeus e botar fogo nas bruxas.

Freud, na virada do século XIX para o século XX, foi o pioneiro no estudo científico da mente humana e, como para um cientista não deve haver preconceito, ele também estudou o humor.

Pela teoria freudiana, esta imagem provoca uma reação humorística pelo contraste de uma imagem associada à pureza (uma freira) com um ato associado ao pecado (a masturbação feminina, tabu até hoje)

Seu livro sobre o assunto, Der Witz und seine Beziehung zum Unbewußten [2], Freud separa o humor em dois tipos[3]: uma das formas de humor é causada pela surpresa (a famosa punchline das piadas), e a outra é causada pela perturbação dos preconceitos.

Nesta segunda categoria encontram-se todas as piadas que envolvem racismo, violência e erotismo. Quanto mais repressora uma sociedade for em relação a algum tópico, mais engraçada fica uma piada que toca nestes temas.

Por exemplo, se um iraniano está em um grupo de palestinos, e conta uma piada sobre o Holocausto, esta piada irá gerar alguns risos. Mas, se um judeu contar a mesma piada em uma sinagoga, a reação será muito mais intensa.

Vivemos em uma sociedade repressora que censura violentamente toda nudez feminina, haja visto que as capas de revista de mulher pelada não podem ter mulher pelada, e as propagandas de televisão não podem nem ter mulher de biquini. Assim, pela lógica freudiana, boobs are funny.

Neurociência[editar]

Estudos mostram que o cérebro de um homossexual reage muito menos a uma imagem de mulher pelada do que o cérebro de um heterossexual

A ciência do cérebro sempre foi baseada na dicotomia corpo-alma.

Assim, temos que doenças do corpo são tratadas por médicos, com remédios, cirurgias[4], choques elétricos, etc.

Por outro lado, doenças da mente são tratadas por analistas, que tentam deconstruir os processos mentais do paciente para poder reconstruir processos mais saudáveis.

Isso tudo mudou com a técnica da ressonância magnética [5], que tornou possível mapear as áreas do cérebro envolvidas com cada pensamento - o que borra a fronteira entre corpo e alma.

Estudos feitos com voluntários punheteiros, divididos em dois grupos, um deles exposto a imagens neutras e o outro a imagens de mulheres peladas, mostraram que o segundo grupo tem mais áreas do cérebro ativadas do que o primeiro, mostrando que a exibição de imagens eróticas aumenta a capacidade de raciocínio[6][7].

Marketing[editar]

Nos países civilizados é assim: esta é uma propaganda de relógio, em uma revista feminina francesa

As técnicas da neurociência foram capturadas pelas agências de marketing, que agora fazem propaganda de forma científica, ou seja, expondo voluntários a várias propagandas, e vendo quais áreas do cérebro que são estimuladas pela propaganda - principalmente as áreas associadas ao prazer[8].

A conclusão geral destas pesquisas é que "mulher pelada vende". Ou seja, uma propaganda que inclua mulher pelada vende o produto, enquanto que uma propaganda que não inclua mulher pelada está fadada ao fracasso[9].

Por causa da alta correlação entre mulher pelada e sucesso é que o governo brasileiro impôs a censura às propagandas de cerveja, que estão proibidas de mostrar mulheres de bikini.

Conclusão[editar]

A conclusão científica óbvia é que uma piada sem graça (como todas as piadas da Uncyclopedia) não resistem a um cérebro plenamente funcional, como aquele estimulado por boobs. Ou seja, no caso da Uncyclopedia, o lema está certo: Boobs are not funny, porque boobs fazem a pessoa pensar melhor e ver que o site deles é uma merda.

Por outro lado, uma wiki que tem por finalidade fazer humor e, ao mesmo tempo, fazer as pessoas pensarem sobre o assunto e absorverem a informação deve incluir mulheres peladas em todos seus artigos.

Referências

  1. Literalmente, Uncyclopedia is not (supposed to be) a storage space for your masturbation fodder. You can help by not uploading pictures of boobs unless they are funny, ver a categoria sobre imagens de peitos
  2. Eu sou foda, e li Freud no original em alemão, mas você não precisa saber esta língua escrota e sem humor para saber do que se trata. Este livro foi traduzido em português com o título "O chiste e sua relação com o inconsciente", aqui, "chiste" é uma palavra arcaida que engloba piadas, ironias, trocadilhos e, de modo geral, qualquer forma de humor
  3. Claro que essa é uma simplificação grosseira. Leia a porra do livro!
  4. O único prêmio Nobel de Portugal, antes do José Saramago em literatura, foi do António Egas-Moniz, que inventou a lobotomia, uma cirurgia cerebral que, poucos anos depois, foi considerada tão bárbara quanto a castração feminina. E isso não é uma piada de português!
  5. Que, aliás, valeu um prêmio Nobel aos seus descobridores, mas foi dada tarde demais, porque um dos que a desenvolveram era um matemático, que já tinha morrido. Uma pena, ia ser muito maneiro um matemático ganhando o prêmio Nobel de Medicina
  6. Não achei exatamente esta experiência descrita, mas tem várias outras, como por exemplo The Architecture of Reward Value Coding in the Human Orbitofrontal Cortex, Guillaume Sescousse, Jérôme Redouté, and Jean-Claude Dreher1, publicada no The Journal of Neuroscience, September 29, 2010
  7. Tem também um livro, que foi escrito a partir de uma experiência, que era mostrar mensagens de paz escritas sobre o corpo feminino: Divining Seduction: Women Initiating Courtship, Partnership and Peace, por Donna Sheehan & Paul Reffell
  8. Tem até uma nova ciência que estuda isso: é o neuromarketing. Ver, por exemplo, Douglas L. Fugate (2007), Neuromarketing: a layman's look at neuroscience and its potential application to marketing practice, Journal of Consumer Marketing, Vol. 24 Iss: 7, pp.385 - 394
  9. How to Be Interesting by Jonathan Morrow


Boobs are not funny faz parte da grande série temática da Wikinet sobre putaria
(ver)