Massively Multiplayer Online

De Wikinet
Ir para: navegação, pesquisa

Mateuzinho vai fazer treze anos, e resolve pedir um presente pro vovô, que, aposentado da Receita Federal, é cheio da grana.

- Vovô, no meu aniversário, eu queria ganhar um computador!

Mas o avô, que ainda está ligado aos paradigmas do século XX, não acha importante que Mateus tenha um computador só para ele. Então segue a negociação:

- Mas na sua casa já há um computador, para que outro?

- É importante que eu tenha um computador só para mim, para poder me comunicar com os meus amigos!

- Use o telefone para isso!

- Mas no telefone não tem como deixar recado ou escrever depoimentos!

- Escreva uma carta!

Vendo que esta abordagem não leva a nada, Mateuzinho muda de estratégia

- Com o computador, eu posso acessar a Wikipédia, a maior enciclopédia do mundo, e melhorar minhas notas na escola!

- Você quer uma enciclopédia? Eu compro pra você a Barsa ou a enciclopédia Conhecer

Em pânico diante da perspectiva de receber uma coisa que ele não tem a menor ideia de como acessar, Mateuzinho comete um deslize, e confessa a sua real motivação:

- Mas o computador não é só estudo! Eu posso jogar um simulador de futebol ...

- Você quer uma bola de futebol, para poder jogar futebol de verdade?

- Não é só isso! Tem outros jogos legais e educativos!

- Eu sei, eu uso meu computador para jogar paciência, mas eu sei que é uma bobagem, porque posso jogar com o baralho.

Vendo que uma abordagem normal não está funcionando, Mateuzinho resolve apelar para o terrorismo:

- Vovô, você sabia que é na minha idade que os meninos decidem se querem ser homens ou ser gays? Na minha turma mesmo eu tenho dois amigos que já se assumiram. Eu quero o computador para ver mulher pelada!

O avô então dá um risada - uma reação que Mateuzinho não esperava - e leva o neto para o seu quarto. Lá, ele pega uma chave meio enferrujada, e abre um armário empoeirado. Do armário, ele retira um saco plástico, e mostra o seu conteúdo ao neto.

- Está vendo? Esta é a revista Lui com a Uschi Obermaier, a playboy com a Veruschka e a Penelope Tree - e continua exibindo sua coleção de revistas antigas, que inclui até a Playboy da Xuxa, que ele tinha comprado para o filho, terminando com a conclusão final:

- Mateus, estas revistas são suas. Guardei-as a vida toda, mas eu quero passá-las a você. Veja que estas são mulheres de verdade, gostosas e dignas, e não estas piranhas do Big Brother Brasil que fazem sucesso, arrumam logo um jogador de futebol e depois desaparecem para sempre.

Neste momento, Mateuzinho resolve argumentar de forma racional

- Mas vovô, você não entende. Tem coisas que eu só posso fazer no computador! Eu posso jogar um torneio de futebol, ser o chefe de uma tribo que evolui para se tornar imperador do mundo, gerenciar um império financeiro, agir como um policial que caça terroristas ou mesmo imaginar que sou um vampiro em uma Terra devastada após uma Guerra Nuclear!

- Meu neto, todos estes jogos existiam na minha época e na época dos seus pais. Eu jogava futebol, War, Monopólio, polícia-e-ladrão com meus amigos, e a geração dos seus pais inventou o tal de RPG, esse negócio meio estranho de vampiro que você falou.

Quase desistindo, Mateuzinho dá o argumento final:

- Mas eles jogavam com quantas pessoas? No computador, eu jogo com um milhão de pessoas diferentes, espalhadas pelos sete continentes, ou mesmo em órbita, na Estação Espacial!

Epic Win! Agora o avô fica mudo, Mateuzinho vai ganhar o seu merecido computador, e o avô vai tentar aprender que história é essa de mundo virtual com um milhão de pessoas.

Este conceito novo, que só a Internet pode criar, é o que se chama de Massively Multiplayer Online, seguido do que está sendo jogado (play) por muitos (multi), mas muitos pra caralho (massively), na rede (online).